Intermediários de Inovação Aberta: Eles São Importantes?

O sucesso de Inovação Aberta depende de muitos aspectos organizacionais como discutido amplamente no fórum MOOI nos últimos meses e continuará sendo feito. A partir do início do próximo ano, começaremos a co-criar o nosso e-book sobre Gestão e Organização de Inovação Aberta, em um esforço conjunto com os membros do fórum MOOI.

Durante todo o mês outubro nosso foco foi sobre o papel de inomediários em Inovação Aberta e como garantir que as empresas inovadoras obtenham o máximo valor da interação com esses prestadores de serviços. Novamente, isto parece ser uma questão de gestão, onde as empresas que efetivamente incorporam essas interações em sua organização interna são mais capazes de se beneficiar dos serviços intermediados.

O webinar sobre inomediários contou com palestrantes convidados interessantes, Andy Zynga (CEO da NineSigma) e Letizia Mortara (pesquisadora da Universidade de Cambridge), que contribuiram com insights valiosos de teoria a prática. A equipe MOOI gostaria de agradecer a esses colaboradores por suas informações, bem como os nossos 157 membros do fórum por seus insights interessantes sobre este tópico no fórum. Antes de abordar os principais temas aflorados pelos membros do fórum MOOI, primeiro examinamos algumas das questões que foram levantadas durante o webinar.

Inomediários e IA: As lições mais importantes do webinar

Andy Zynga distingue entre diferentes tipos de inomediários ativos no mercado inomediário.

Tipos de inomediários

Inomediários que oferecem seus serviços intermediados com base na interação entre seus funcionários e clientes:

  • Busca de conhecimento externo / encontrar soluções técnicas que estão integrados nos produtos / serviços dos seus clientes (p.ex. NineSigma, Innocentive, IXC)
  • Otimização de uso de PI não utilizada (Yet2.com, Innovaro)
  • Ampliação de Equipe (p.ex. IXC, YourEncore)

Inomediários que oferecem seus serviços intermediados com base na interação entre empresas e tecnologia:

  • Plataformas baseadas na web onde necessidades / ofertas tecnológicas podem ser lançadas (p.ex. Innoget, Hypios, IdeaConnection)
  • Plataformas (ou mecanismos) para ideação / buscas (p.ex. Inno360, Spigit)
  • Proporcionar acesso a consumidores (p.ex. IdeaScale, Threadless)

Serviços oferecidos

Existem diferentes tipos de inomediários e a forma como eles estruturam seus serviços específicos podem diferir de um inomediário para outro, mas em geral inomediários ajudam as empresas inovadoras a encontrar soluções para as necessidades específicas de inovação, encontrar compradores / licenciadores para PI existente, obter insights de especialistas em matéria de assuntos, desenvolver de Cenários e Rotas de Tecnologia, criar novos produtos, aplicar IA em toda a organização.

Dinâmica do mercado

Com relação às condições atuais do mercado enfrentadas pelos inomediários, Andy Zynga identificou os seguintes desafios:

  • Ciclos de vida de produtos mais curtos e globalização levam ao aumento da demanda para o serviços de Inovação Aberta
  • Novos atores, devido à baixa barreira de entrada percebida
  • Crescente demanda por empresas de menor porte: Custo das Vendas
  • Mais apoio a inovação final para extrair mais valor de soluções
  • Setor público globalmente descobriu a Inovação Aberta

Exemplos

Andy Zynga também discutiu uma série de exemplos interessantes em relação ao seu negócio. GE, por exemplo, queria identificar parceiros de desenvolvimento de aplicações imediatas para validar e testar uma nova plataforma de tecnologia de detecção baseada em uma etiqueta (“tag”) RFID HF. A tecnologia HF sem bateria pode medir compostos orgânicos voláteis (COV), temperatura, condutividade da solução e pressão. NineSigma identificou 36 potenciais parceiros para GE que, eventualmente, contratou com uma organização europeia. A abordagem da NineSigma de chegar aos potenciais parceiros na comunidade global de tecnologia e de facilitar as chamadas com contatos de indústrias identificadas à GE resultou em uma ampla gama de potenciais parceiros, muitos dos quais GE nunca teria considerado.

Outro exemplo diz respeito às Corporação de Gestão de Alterações Climáticas e Emissões – Climate Change and Emissions Management Corporation (CCEMC), que havia ativamente lançado desafios para abordar avanços incrementais. CCEMC queria “elevar a discussão” e buscar inovação radical; o Grand Challenge lhes permitiu fazer isso. O Grand Challenge espera identificar múltiplas tecnologias que proporcionarão reduções significativas nas emissões de gases de efeito estufa através da transformação de carbono de passivo em ativo. NineSigma trabalhou com CCEMC e seu Conselho para definir metas, esclarecer a necessidade e alinhar todas as partes interessadas em torno de uma visão comum. NineSigma coordenou todos os aspectos de mensagens do Grand Challenge, RP e procura, coordenando com CCEMC e sua agência de marketing parceira.

Literatura acadêmica

Letizia Mortara destacou descobertas importantes de sua pesquisa.

A literatura acadêmica tem produzido diversos artigos interessantes sobre inomediários na última década. Os autores têm examinado principalmente o papel de inomediários nas atividades de Inovação Aberta de empresas e concluíram que a utilização de serviços intermediados pode, potencialmente, ajudar as empresas inovadoras em termos de ganhar acesso ao conhecimento externo e otimizar seus processos de aprendizagem internos e inter-organizacionais. Apesar desse forte potencial de criação de valor, pesquisas mostram que algumas empresas são mais capazes de fazer uso otimizado dos serviços intermediados do que outras.

A este respeito, Letizia Mortara destacou importantes descobertas em sua pesquisa. Diferentes inomediários têm maneiras diferentes de trabalho, redes diferentes apoiando-as e diferentes capacidades; é fundamental que uma empresa inovadora selecione o inomediário certo para o trabalho que precisa ser feito. Se há uma incompatibilidade entre o cliente e o inomediário em termos de, por exemplo, a forma de trabalhar isso pode afetar negativamente o sucesso da relação. Além disso, pesquisa mostra que as empresas, organizando de forma eficaz as relações com inomediários internamente através de, por exemplo, ligação dessas interações com a estratégia corporativa / programas de financiamento, estão se beneficiando mais dos serviços intermediados do que as empresas que não se organizam bem internamente.

Serviços intermediados e IA: Observações das discussões fórum MOOI

Como o valor referente aos serviços intermediados é um tema desafiador, que é de interesse para muitos gestores, o tema tem gerado vários tópicos de discussão interessantes no fórum. Vamos descrever algumas lições gerais destas discussões abaixo.

As páginas amarelas de inomediários

Alguns dos membros do fórum discutiram as dificuldades que empresas enfrentam ao tentar selecionar prestadores de serviços de IA adequados. Os membros do Fórum apontam que empresas inovadoras em alguns casos não têm ideias claras sobre o que exatamente elas precisam do inomediário; isso pode levar a um descompasso entre as expectativas e a entrega levando empresas inovadoras a insatisfação com os esforços de inomediários. Além disso, as expectativas das empresas inovadoras são, por vezes irrealisticamente altas (soluções Santo Graal), levando à decepção. Os membros do Fórum mencionaram que pode haver falta de experiência em ambas as empresas inovadoras (processo de seleção incompleta de inomediário, necessidades pouco claras, procedimentos internos insuficientes regendo as interações com inomediários etc.) e inomediários (mudanças nas ofertas de serviço, manejo inadequado das expectativas etc. ) que levam a relações sub-ótimas. Os membros do Fórum questionam se faria sentido preparar as páginas amarelas de inomediários ajudando empresas inovadoras a encontrar seu caminho no mercado elaborado pelos serviços intermediados.

O valor de uma rede personalizada

Outra questão interessante levantada pelos membros do fórum MOOI é a questão de saber se faz sentido para inomediários criarem redes personalizadas para cada um dos problemas / solicitações de seus clientes ou desenhar a partir da mesma rede toda vez. Alguns inomediários como NineSigma acreditam que cada problema de inovação é único e que uma nova rede de potenciais fornecedores de soluções precisa ser elaborada para servir de forma eficaz aos clientes as soluções mais criativas e valiosas. Outros, como InnoCentive, fazem uso da mesma rede toda a vez e miram em segmentos apropriados desta rede através da preparação de declarações de problemas muito específicas e definição de requisitos exatos de solução. Os clientes podem exigir redes elaboradas especificamente para eles, com base em considerações de PI, definições sensíveis de problema que não querem compartilhar amplamente, a necessidade de atores específicos participarem do desafio etc. Os membros do Fórum questionam se trabalhar com inomediários é a opção certa se as empresas inovadoras têm esses requisitos específicos no que diz respeito à rede de partes que querem que responda a seus problemas. Pode uma forte necessidade de controle estar unida com o valor que inomediários podem potencialmente gerar precisamente porque eles oferecem acesso a partes inesperadas para além da esfera de influência / controle das empresas?

Estes são apenas alguns pensamentos que foram desenvolvidos por membros do fórum de forma interativa. As discussões desenvolvidas no fórum mostram que discussões de alta qualidade podem ser geradas online entre pessoas conhecedoras que compartilham a mesma paixão.

Por: Equipe MOOI | Tradução por: Filipe Costa

Prof. Wim Vanhaverbeke, Hasselt University, ESADE & National University of Singapore,

Prof. Henry Chesbrough, University of California, Berkeley & ESADE, and

Dr. Nadine Roijakkers, Hasselt University.

Leia mais sobre os membros da equipe MOOI e o projeto.

Participe do fórum: Há mais por vir!

O papel de inomediários em Inovação Aberta é o 9o de 12 temas que discutiremos em sessões mensais. Esperamos que os temas IA sejam especialmente valiosos para os profissionais que trabalham dentro das organizações. Você está convidado a partilhar os desafios diários e experiências enfrentados no local de trabalho e discutir possíveis soluções. Uma vez que nossas discussões temáticas terminem, convidamos você a participar do nosso esforço de co-criação e ajudar-nos a escrever um livro MOOI para os profissionais, por profissionais! Clique aqui para saber mais informações sobre o fórum MOOI ou se juntar a ele.

  1. Alinhando Inovação Aberta (IA) com estratégia corporativa. 3 de dezembro de 2013
  2. Papel e ações de gestão no apoio a IA. 7 de janeiro de 2014
  3. Como configurar organização, gestão e estruturas de comunicação de apoio a projetos IA? 4 de fevereiro de 2014
  4. Como recrutar, selecionar, treinar etc para Inovação Aberta: Que habilidades, atitudes, personalidades são necessárias? 4 de março, 2014
  5. Como criar uma cultura corporativa onde IA pode prosperar? 1 de abril de 2014
  6. Como usar PI estrategicamente para acomodar IA? 6 de maio de 2014
  7. Como mudar o departamento de P&D para IA? 3 de junho de 2014
  8. Equipe de implementação de IA. 2 de setembro de 2014
  9. Como fazer efetivamente uso de inomediários? 7 de outubro de 2014
  10. Como avaliar o sucesso das atividades de IA? 4 de novembro de 2014
  11. Fazendo acontecer: De Inovação fechada para Aberta. 2 de dezembro de 2014
  12. Tema escolhido pela comunidade. 6 de janeiro de 2015

Referências

  • Roijakkers, Zynga, and Bishop, 2014, What can innovators do to increase value in external knowledge searches? In: New frontiers in Open Innovation, Chesbrough, Vanhaverbeke, West (eds.), Oxford University Press, forthcoming.
  • http://www.idexlab.com/blog/role-open-innovation-intermediaries-2
  • Mortara, 2010, Getting help with Open Innovation, IfM/University of Cambridge report
  • Diener and Piller, 2010, The market for Open Innovation-Increasing the efficiency and effectiveness of the innovation process, RWTH Aachen University report.
  • Hagerstrand, T. 1952. The propagation of innovation waves. Lund Studies in Human Geography, Series B 4, 3-19
  • Rogers, E.M. 1962. Diffusion of Innovations. The Free Press, New York.
  • Shohert, S., Prevezer, M. 1996. UK biotechnology: institutional linkages, technology transfer and the role of intermediaries. R&D Management 26, 283-298.
  • Hargadon, A. Sutton, R. I. 1997. Technology brokering and innovation in a product development firm. Administrative Science Quarterly 42. 718-749.
  • Howells, J.2006. Intermediation and the role of intermediaries in innovation . Research Policy 35. 715-728.
  • Lynn, L.H., Reddy, N.M. & Aram, J.D. 1996, “Linking technology and institutions: the innovation community framework”, Research Policy, vol. 25, no. 1996, pp. 91-106.

Imagem: Business team por Shutterstock.com

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad