Inovação Ligada: 5 Fontes de Sucesso em Gestão de Desafio de Inovação Aberta

Métodos de inovação aberta e crowd sourcing, quando aplicados para o problema certo, podem efetivamente ampliar a busca por provedor de soluções para além dos limites de uma indústria. Este artigo apresenta a aplicação de um método de crowd sourcing de transmissão direcionada para identificar fornecedores de soluções não óbvios para um consórcio de indústrias alemão. A maioria das soluções apresentadas por este método eram desconhecidas para o consórcio. Esta avaliação demonstra o poder de crowd sourcing aberto para fornecer soluções de indústrias descontinuadas e quão eficaz crowd sourcing pode ser em inovação aberta.

FVA, ou “Forschungsvereinigung Antriebstechnik”, é uma associação de indústrias alemã composta por médias empresas que fornecem componentes e sistemas no campo da tecnologia de transmissão. Muitos dos membros da FVA são líderes de mercado mundial em seu segmento e representantes típicos de forte engenharia alemã. FVA faz parte da VDMA, associação que representa 3.000 empresas do setor de engenharia alemã, o que representa um volume de negócios total de cerca de € 160 bilhões e 920.000 funcionários.

A cada ano, a FVA fornece fundos substanciais para subsidiar e apoiar a investigação e desenvolvimento técnico em domínios pré-competitivos como um meio de acesso às mais recentes soluções técnicas, compartilhando riscos e investimentos financeiros com a execução dessa pesquisa para os membros participantes. Para um projeto típico, um número de empresas associadas forma um consórcio, define um interesse comum de pesquisa e então encontra um instituto de pesquisa para executar esta tarefa, na forma de pesquisa de contrato. Na maioria dos casos, os contratantes são laboratórios universitários ou institutos de pesquisa alemães dedicados como Fraunhofer ou Helmhloz, mas também pequenas empresas de engenharia ou laboratórios especializados podem ser abordados. Os resultados são compartilhados como PI conjunta entre os membros.

Uma pesquisa recente na indústria química tem demonstrado a eficácia do uso de métodos de inovação aberta e, especialmente, o método de “Solicitação de Propostas” (Jeppesen & Lakhani 2010). Este trabalho apresenta a avaliação de um método crowd sourcing de inovação aberta direcionado, desenvolvido pela NineSigma, conhecido como Inovação Ligada (“Linked Innovation”), como um meio para ampliar a trasmissão do desafio para além das fronteiras do consórcio FVA, a capacidade de identificar os fornecedores de soluções inesperados e compartilhar benefícios dentro de grupo de membros de uma indústria.

Métodos

A montagem do projeto foi arrojada e envolveu desafios técnicos dos membros da FVA que já tinham sido objeto de investigação interna e de consórcio de acordo com o modelo tradicional de pesquisa de contrato, mas não havia produzido soluções suficientes ou adequadas, e abrir para a multidão estes desafios para identificar soluções para estes problemas em uma rede de inovação aberta. Após uma extensa análise dos intermediários de inovação aberta (Diener & Piller 2010), a decisão foi tomada com a parceria com NineSigma, dada a sua forte experiência no domínio da engenharia mecânica e sua abordagem de inovação aberta sofisticada, mas flexível. O método NineSigma de Inovação Ligada de crowd sourcing direcionado foi aplicado conforme forneceu os meios para federar os recursos do consórcio, evitando conflito ou concorrência entre os membros. Cinco desafios foram identificados por FVA. Dois vieram diretamente de empresas associadas individuais; três foram retirados da lista de tópicos para pesquisa de consórcio.

Para maior clareza, a definição de inovação aberta foi tida como a disciplina formal e prática de alavancar as descobertas de inusitados como entrada para o processo de inovação por meio de relações formais e informais. Crowd sourcing foi o mecanismo subjacente que permite essa relação, definida como o ato de tomar uma tarefa e terceirizá-la a uma grande rede indefinida de potenciais contribuidores na forma de uma chamada aberta. O método NineSigma de crowd sourcing direcionado vai além da transmissão simples através de uma comunidade com suporte web, para identificar e solicitar ativamente os maiores provedores de soluções potenciais em sua base de dados de comunidade, efetivamente aumentando a qualidade e a relevância das soluções recebidas.

O seguinte método NineSigma de crowd sourcing de problemas técnicos foi aplicado ao projeto da FVA. Primeiro, os cinco problemas da FVA foram traduzidos com a ajuda de gestores de programas sênior do escritório europeu da NineSigma em Leuven, em “pedidos de propostas” (RFP), um documento aberto que descreve a definição do problema, indica os critérios de desempenho da solução esperada, e também fornece a proposta de negócio para a colaboração em forma de benefícios potenciais ou royalties para um provedor de soluções de sucesso. Então NineSigma definiu o público específico de fornecedores de soluções (até e acima de dez mil) relevantes para o problema específico através da aplicação de ferramentas de pesquisa para a sua rede própria de mais de dois milhões de potenciais solucionadores e bases de dados públicas. Após a seleção da população de provedor de solução potencial, os RFPs foram transmitidos por NineSigma. As respostas foram tratadas através dos gerentes de help desk e programas NineSigma. Terminado o prazo para as soluções passadas (cerca de 4-5 semanas a partir da postagem inicial), os resultados foram avaliados e discutidos com os parceiros da FVA.

Resultados

A Tabela 1 apresenta os dados sobre as soluções recebidas por 4 dos desafios (que não estão autorizados a revelar os resultados de um desafio por razões de confidencialidade) e ilustra o poder do crowd sourcing de um problema técnico. Considere como um exemplo RFP 66198, uma busca por materiais com características específicas para permitir a fabricação de sistemas de engrenagens sem lubrificantes. Para esta RFP, 26 propostas de solução foram submetidas por fornecedores em todo o mundo. Destas, a maioria dos provedores de solução foram totalmente novos para as empresas (o que é notável como este em um campo altamente especializado, onde ouvimos antes com frequência “Conhecemos todos os relevante em nossa indústria”). Além disso, a maioria das tecnologias por trás das soluções (16 de 26) foram totalmente novas para o consórcio. Em quatro soluções, foi solicitado mais informações. Apenas seis tecnologias de solução eram conhecidas antes – mas frequentement provenientes de novos provedores de soluções potenciais.

Tabela 1 Resultados de pilotar inovação aberta na FVA

Clique para ampliar

Implicações práticas

O desempenho da inovação depende, em grande medida, da capacidade de uma organização para acessar novas fontes de conhecimento e conectar as pessoas com o conhecimento prévio de uma forma inovadora. A atividade fundamental para atingir esse objetivo é estabelecer redes amplas com entidades externas. Exatamente este processo foi facilitado pela abordagem de inovação aberta descrita aqui. Seu efeito principal é ampliar a base de informações que podem ser acessadas e utilizadss para o processo de inovação.

Em um sistema de inovação convencionalmente “fechado”, apenas informações sobre as soluções que estão no domínio de uma empresa podem ser usado como input criativo para o processo de inovação, um problema que tem sido chamado de “viés de pesquisa local”. Em um sistema de inovação mais aberta para a entrada externa, esse estoque de conhecimento é estendido pela grande base de informações sobre as necessidades, aplicações e tecnologias de solução que reside no domínio de usuários, fornecedores, especialistas, universidades, PMEs e outras partes externas. Assim, apenas aumentando o grupo potencial de informações, melhores resultados estão se tornando possível. Além disso, com frequencia esse processo fornece soluções que podem ser “prontas para usar” ou “direto da prateleira”. O projeto de inovação em seguida, se torna apenas um processo de compra ou licenciamento padrão.

A abordagem NineSigma fortalece esse processo por duas características únicas: em primeiro lugar, a chamada aberta por soluções permite uma auto-seleção de potenciais solucionadores de qualquer campo. Muitas vezes, a classe geral de um problema pode ser conhecida e compreendida em diferentes domínios, desconectados. A empresa, no entanto, tem uma tendência a buscar os “suspeitos de costume” dentro de sua própria rede, enviesados pela própria suposição dos candidatos sobre o caráter da solução. O processo de definição da necessidade e do pedido por propostas aberto transmite o problema para os atores de diferentes domínios – e com diferentes níveis de estado da arte. Em segundo lugar, NineSigma tem uma série de especialistas de busca que utilizam práticas de busca amplas e imparciais para encontrar fornecedores de soluções potenciais em todo o mundo. Ambas as estratégias levam à identificação de outros “não óbvios” – explicando o sucesso marcante da aplicação deste método NineSigma de inovação aberta direcionada para os desafios abertos da FVA. O que é mais notável é que normalmente a transmissão de desafios de inovação aberta fornece uma taxa de sucesso de solução de até 30% (Lakhani et all 2007), enquanto no caso da Inovação Ligada, 100% dos desafios tiveram soluções identificadas.

“A utilização de [especialistas em inovação aberta como NineSigma] claramente compensa. Enquanto existir uma interação justa entre os buscadores e solucionadores, o método de difusão de problemas será bem sucedido e melhorará as atividades de solução de problemas das empresas, em termos de qualidade e eficiência” É assim que um dos parceiros da indústria resumiu a experiência na FVA. Mas no final, crowd sourcing para problemas técnicos também pode permitir a mudança importante dentro de uma empresa: “No decorrer do projeto com NineSigma aprendemos muito sobre os parceiros potenciais, mas o mais importante, nós aprendemos muito sobre nós mesmos e nossa própria empresa”, disse outro parceiro da indústria. Este “aprender sobre si mesmo” pode ser um dos maiores benefícios da rede de inovação aberta crowd sourcing.

Conclusões

Abrir a inovação não é um sucesso automático, mas que exige preparação detalhada e aplicação rígida. A partir de nossas experiências no com FVA e projetos similares em diferentes contextos, poderíamos derivar uma série de fatores-chave de sucesso para lucrar com a inovação aberta e crowd sourcing de problemas técnicos.

As 5 chaves para transformar os desafios de Inovação Aberta em sucesso são:

  1. Claramente definido definição, propriedade e objetivos do problema. Talvez o fator mais importante é ter um problema ou tarefa que é adequado para ser crowd sourced. Comece com o proprietário de problema e desafio. Determinar o objetivo de sua iniciativa de inovação aberta antes de contratar um intermediário. Intermediários são diferentes, e nem todos são igualmente adequados para o mesmo tipo de tarefa.
  2. Criar um bom ambiente de inovação aberta. Uma equipe dedicada é fundamental para tornar a inovação aberta um sucesso. Isso começa com a instalação de uma competência de projeto central para sua iniciativa de inovação aberta. As empresas bem sucedidas nomearam um campeão interno de IA que é voltado ao exterior e capaz de coordenar diferentes projetos de crowd sourcing. Igualmente importante, é educar outros membros da equipe e funcionários sobre os objetivos e princípios do projeto de inovação aberta, para que eles entendam o que se espera deles e que eles devem esperar da inovação aberta.
  3. Decidir sobre a amplitude de controle. A inovação aberta é sobre a abertura para a periferia da sua empresa. Mas você pode decidir sobre o controle que você deseja manter durante o processo de transferência de conhecimentos e de exploração dos resultados, selecionando um método e intermediário apropriado. Por exemplo: os provedores de soluções potenciais, deveM saber quem você é e ver o seu nome e logotipo da empresa na RFP? Sabemos que RFPs que revelam a identidade do proprietário do desafio pode receber um número significativamente maior e, por vezes, melhores propostas. Mas revelar quem você é também pode informar seus concorrentes. Saber sobre estes trade-offs é fundamental para o sucesso da inovação aberta.
  4. Criar linhas de tempo e orçamentos realistas. Primeiro de tudo, ser rápido. RFPs e também propostas de solução começarão a atrair concorrentes mais cedo ou mais tarde. Portanto, antes de começar, tenha o apoio para a implementação de soluções retornadas que correspondem às suas necessidades. Reserve um orçamento para isso. Certifique-se sobre as capacidades humanas e os recursos necessários para o processo de avaliação das propostas de solução e para a tomada de uma decisão de fornecimento de tecnologia.
  5. Decidir sobre sua alocação de recursos. Considere o que vem a seguir no curto prazo: Você está à procura de um intermediário que também fornece suporte antes e depois da transmissão de RFP, por exemplo, com a avaliação das soluções ou negociação dos termos de licenciamento? Ou você deseja executar essas atividades em casa. Ambas as opções estão disponíveis e têm seus distintos prós e contras. Considere também o que está próximo a longo prazo: Pense, por exemplo, gestão da comunidade. Deve o intermediário ajudar você a gerenciar uma comunidade de potenciais solucionadores? Ou você está preparado para assumir essas tarefas por si mesmo?

Por: Frank Piller e Rick Wielens | Tradução por: Filipe Costa

Sobre os Autores

 

Frank Piller é um professor catedrático de gestão e diretor do Grupo e Gestão de Tecnologia e Inovação na RWTH Aachen University. Ele também é um membro do corpo docente fundador e co-diretor do MIT Smart Customization Group no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, EUA. Frequentemente citado em The New York Times, The Economist e Business Week, entre outros, Frank é considerado um dos principais especialistas em customização em massa, personalização e inovação aberta. Pesquisa recente de Frank se concentra em interfaces de inovação: Como as organizações podem aumentar o sucesso da inovação através da concepção e gestão de melhores interfaces dentro de sua organização e com os atores externos.

Rick Wielens, CEO da NineSigma Europa. Rick Wielens juntou-se a NineSigma em 2010 e é responsável pela NineSigma Europa. Anteriormente, Rick trabalhou com sua própria empresa em inovação aberta e serviços especializados na área de alta tecnologia, na Holanda e na Alemanha. Rick traz experiência internacional trabalhando na Alemanha para SAP e na Holanda para a Royal Philips Electronics em diversas funções e setores. Rick tem um M.Sc. em Planejamento e Gestão de Transportes pela Universidade de Westminster, em Londres e um BA em Engenharia de Tráfego da Universidade de Ciências Aplicadas em Tilburg.

 

Referências

Jeppse, L.B. & Lakhani K.R. (2010) Marginality and Problem-Solving Effectiveness in Broadcast Search. Organisational Science Vol 20(5)

pp 1016- 1033.

Diener K. & Pillzer F. (2010) The Market for Open Innovation. A Study of the Intermediaries and Brokers for Open innovation, available at

www.study.open-innovation.com.

Lakhani K., Jeppesen L., Lohne P & Panetta J. (2007) The value of Openness in Scientific Challenge Solving. HBS publications.

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad