Convencer PMEs de que Gestão da Inovação Importa

PMEs são percebidas como a espinha dorsal da maioria das economias da Europa. Portanto, uma série de programas foram lançados para apoiar o seu crescimento. Nos últimos anos, oferecer suporte a inovação tornou-se popular, complementando os programas conhecidos de financiamento de start-up e transferência de tecnologia. Apesar disso, existe um nível de insatisfação em relação ao impacto desses serviços.

As perguntas que surgem são:

  • O que realmente impede as PMEs de adotar serviços de apoio à inovação?
  • Quais poderiam ser medidas eficazes para alcançar as PMEs?
  • Quais seriam as ofertas de criação de valor para as PME incorporarem a gestão da inovação em suas organizações?

Conhecer seus clientes – PMEs

A maioria das PMEs têm outras prioridades antes da gestão da inovação. Portanto, a principal preocupação não é como introduzir a gestão da inovação para as PMEs, mas o que impede o gestor da PME de dormir à noite. É o desafio de encontrar e reter novos clientes. É a questão de como lidar com a pressão de preços dos países de baixo custo. Na Alemanha, as PMEs também enfrentam o desafio de atrair funcionários qualificados. Estas observações gerais, claro, precisam ser diferenciadas quando se pensa em medidas eficazes para alcançar as PMEs.

Uma análise recente de feedback de PMEs na Avaliação de Gestão da Inovação¹ IMP³rove mostra que há uma diferença na percepção de valor adicionado entre as PMEs com menos de 20 empregados e aqueles com 21 a 100 funcionários e com 101 ou mais empregados. Empresas que são apoiadas por um Consultor IMP³rove treinado, durante a Avaliação IMP³rove, avaliam o valor agregado pelo consultor, em média de 5,9 em uma escala Likert de 1 a 7. Empresas que têm mais de 101 funcionários apreciam a ajuda do consultor ainda mais. Sua pontuação é de 6,4, em média. Da mesma forma, as empresas maiores avaliam o valor das informações fornecidas pelo relatório de avaliação comparativa IMP³rove superior às PMEs de menor dimensão. Isso indica que as PMEs maiores obtêm insights mais valiosos do relatório de avaliação comparativa em relação às menores. No entanto, na avaliação do foco do consultor sobre questões específicas da empresa ao fornecer feedback sobre o desempenho de gestão da inovação das PMEs quase não há diferença entre as PMEs menores e maiores. Esse feedback indica que as PMEs valorizam serviços de apoio à gestão da inovação uma vez que tenham experimentado que estes serviços entregam um impacto positivo no seu desempenho. Com base nesses resultados, a questão é como convencer as PMEs a investir tempo na melhoria da sua gestão da inovação.

Alcançar seus clientes – CEOs das PMEs

Com base nos resultados das respostas das PMEs sobre o apoio à inovação IMP³rove parece ser mais fácil começar aproximando as PMEs maiores aos serviços de apoio à inovação. Independente do tamanho da empresa, o CEO vai perguntar “o que há nisso para mim?” e “qual é o valor que eu posso conseguir com isso?” A resposta aqui não deve ser um exercício “acadêmico”, mas sim uma proposição de valor muito concreta. Se o gestor da PME pode ver que ele/ela vai economizar dinheiro ou tempo, ou que ele/ela vai fazer crescer o negócio, eles vão ficar mais interessados. Muitos programas de apoio à inovação não têm este tipo de proposta de valor explícita para a PME. O acesso a fundos públicos não deve ser o primeiro argumento de por que uma PME deve fazer uso dos serviços de apoio à inovação oferecidos. O argumento chave deve ser o impacto sustentável sobre o desempenho dos negócios da PME – e como esse impacto será entregue.

Então, qual é o impacto no negócio esperado a partir da análise comparativa da gestão da inovação, por exemplo? Aqui defendemos que gestores de PME gastam tempo para entender o que seus concorrentes estão fazendo de forma diferente. Este tempo pode ser traduzido em dinheiro, multiplicando o tempo gasto com a taxa diária ou horária da pessoa que está analisando as atividades dos concorrentes, seja durante as visitas a feiras de negócios, ou o tempo gasto para assistir a conferências, ou pesquisando na internet. Geralmente, isso levaria muito mais tempo do que um ou dois dias. Aferição de gestão da inovação, como a Avaliação IMP³rove, oferece uma análise sistemática de um número significativo de concorrentes em menos de dois dias. Nesta estimativa, o tempo para a preparação interna de dados necessários e para completar o questionário já está incluído. Ganhar insights sobre onde as próprias forças e fraquezas da PME estão, em termos de gestão da inovação, em comparação a seus concorrentes é um valor em si mesmo para a PME – especialmente quando a avaliação da gestão da inovação está focada no crescimento rentável a partir da inovação.

O argumento mais convincente para apoio à inovação é o valor esperado da implementação das medidas que o consultor recomenda.

Uma vez que a PME experimentou o valor do exercício de benchmarking, o interesse em fechar as lacunas identificadas aumenta e assim como a experiência do proprietário da PME da valor agregado que recebeu do provedor de suporte a inovação – o consultor. As comparações servem de base para a discussão sobre quais medidas devem ser tomadas para melhorar o desempenho de negócios das PMEs. Em outras palavras, o argumento mais convincente para apoio à inovação é o valor esperado da implementação das medidas que o consultor recomenda. Pode não ser o financiamento público para um projeto de inovação que convence a PME a melhorar a sua gestão da inovação. Acelerar o tempo para o mercado ou o tempo para o lucro pode ter impacto mais sustentável para a competitividade da empresa do que os fundos. Uma análise mostra que há espaço para melhorias em muitas PMEs.

Figura 1: Lacuna em tempo para mercado entre campeões de crescimento e outras PMEs

PMEs vêem o valor, se eles traduzem o atraso no lançamento de sua próxima inovação em perda de receitas e, finalmente, perda de lucro. PMEs que já pensam nestes termos desenvolverão continuamente as suas capacidades de gestão da inovação. No entanto, o desafio é convencer as PME ques estão no início do processo.

Figure 2: Etapas de desenvolvimento de proficiência em gestão da inovação

O primeiro passo para muitas PMEs é estar consciente do que é a gestão da inovação e por que é importante para o seu sucesso futuro. Criação de consciência pode começar com histórias de sucesso da própria indústria da PME apresentadas por uma PME que já alcançou realização significativa de tomar ações para procurar novos mercados, serviços ou modelos de negócio. Porém, o primeiro passo não tem de ser necessariamente um produto novo. Muitas PMEs da indústria de transformação geram até quase 50 por cento do seu crescimento no lucro a partir de inovação que não é baseada em produtos inovadores, mas em novos serviços, novos processos ou novos modelos de negócios.

Quando as PMEs ganham interesse em crescer ativamente seus negócios, elas podem estar interessadas em uma avaliação mais sistemática das suas capacidades de gestão da inovação e competitividade atuais. É nesta fase que a educação em gestão da inovação geralmente começa. Durante o preenchimento do questionário de avaliação comparativa, as discussões sobre as várias dimensões da gestão da inovação são acionadas. Muitas vezes, as PMEs percebem que já praticam uma série de atividades, que são parte de sua gestão da inovação. No entanto, estas atividades têm de ser realizadas de uma maneira mais sistemática/regular. Esse é o momento em que a gestão da inovação pode ser aplicada e desenvolvida.

Em paralelo a este desenvolvimento desde a sensibilização para a implementação, o foco deve ser colocado sobre o crescente impacto da gestão da inovação no desempenho dos negócios e competitividade das PMEs. Uma vez que existe o risco de que, seguindo a abordagem do manual, os processos de inovação ou a estratégia de inovação não são suficientemente personalizados para as necessidades específicas da PME, a prova de fogo é o crescimento sustentável.

Em uma nota final, a criação e educação de consciência deve transmitir a mensagem de que a inovação abre um amplo espaço para o crescimento sustentável das PMEs, de inovação de produto a serviço, seja a inovação organizacional ou em modelo de negócio. Inovação não significa apenas inovação de produtos orientada a tecnologia. Por mais que a transferência de tecnologia seja importante, não é, de longe, a única fonte de inovação e competitividade.

Por: Eva Diedrichs | Traduzido por: Filipe Costa

Sobre o Autor

Eva Diedrichs é consultora sênior da A.T. Kearney e gerente de projetos do IMP³rove e do lançamento do IMP³rove – European Innovation Management Academy (sem fins lucrativos).


Referências

1. IMP³rove Benchmarking foi desenvolvido dentro de iniciativa da Comissão Europeia IMP³rove – melhor suporte em gestão da inovação. Os serviços desenvolvidos no âmbito desta iniciativa são fornecidos pelo IMP³rove – European Innovation Management Academy (sem fins lucrativos). Deve apoiar as regiões a integrar as ferramentas IMP³rove em novos programas para melhorar a capacidade de gestão da inovação das PMEs. Para o efeito o IMP³rove – European Innovation Management Academy é apoiado pela Comissão Europeia, Direção-Geral Empresas e Indústria.

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad