Previsão de Sucesso em Equipes de Inovação

Um estudo da Harvard Business Review traz à tona várias descobertas interessantes sobre a prática da inovação para a empresa, incluindo a matriz de ambição da inovação, que detalha como “empresas que se destacam na gestão da inovação total investem simultaneamente em três níveis de ambição, gerenciando cuidadosamente o equilíbrio entre eles.”

Para ler mais sobre o estudo da Harvard Business Review clique aqui

Esses três níveis são:

  • Núcleo: Quando as organizações estão refinando sua oferta existente.
  • Adjacente: Quando as empresas estão expandindo sua oferta para um negócio que é novo para elas.
  • Transformacional: Quando as empresas estão desenvolvendo ofertas em mercados que ainda não existem.

Mas, além disso, o artigo faz algumas recomendações muito concretas para programas de inovação organizacional:

Equipes de Inovação Multi-Disciplinares: As equipes de inovação devem ser compostas por um conjunto de habilidades variadas que pode gerenciar inúmeros desafios. Muitas vezes as equipes de inovação funcionam como uma start-up dentro de um negócio estabelecido.

Equipe Dedicada: As organizações que são sérias sobre a inovação não devem pedir para os membros de sua equipe dividirem seus esforços. Frequentemente, vemos programas de inovação em camadas acima de deveres e expectativas no dia-adia de alguém. Às vezes, têm êxito, mas também se arrisca diluir a potência de qualquer programa de inovação.

Alocar Recursos: Orçamentos dedicados permitem que as equipes de inovação atribuam recursos reais, não importa onde elas estejam alinhando seus esforços. Sem o orçamento para idealizar, avaliar e prototipar, é improvável que o progresso verdadeiro será feito.

Definir Sucesso Durante o Tempo: Quando as equipes estão calculando o seu ROI, devem fazê-lo de forma exponencial, começando com o sucesso não financeiro e medindo os seus programas versus vários objetivos organizacionais.

Certamente, cada uma dessas melhores práticas representa um compromisso com a inovação, que também tem em mente os objetivos globais de negócio da organização que está servindo. E, apesar de inúmeras empresas se comprometem a ideação generalizada, muitas vezes é difícil para elas assistir ao próximo nível de geração das melhores ideias para dedicar recursos reais.

O processo de identificação com sucesso de novas ideias depende da equipe de inovação primeiro definir os vetores para o sucesso e garantir que as ideias que se movem através de cada estágio (“stage gate”) sucessivo mensure o progresso contra esses objetivos. Por esta razão, IdeaScale desenvolveu um sistema de matriz de decisão sofisticado que avalia ideias promissoras contra objetivos da organização, bem como os custos e as limitações potenciais.

Para aprender mais sobre a priorização em iniciativas de inovação na organização, veja webinar complementar IdeaScale sobre soluções de matriz de decisão Juhoe 10 às 10 a.m. PST. Registre-se.

Por: Rob Hoehn | Tradução por: Filipe Costa

Sobre o Autor

Rob Hoehn é co-fundador e CEO da IdeaScale: a maior plataforma de inovação aberta no mundo. Hoehn lançou o software de crowdsourcing como parte da iniciativa de governo aberto e o portfólio da IdeaScale inclui outras notáveis da indústria, como EA Sports, NBC, NASA, Xerox e muitors outros. Antes da IdeaScale, Hoehn foi Vice Presidente de Serviços ao Cliente na Survey Analytics.

Foto: Businessman Presenting de shutterstock.com

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad