Inovar para Prosperar – A Importância da Inspiração

Este é o primeiro de uma série de artigos que levam em consideração a necessidade de Inovação e compartilham alguns dos imperativos para criar e manter o "NOVO" nos negócios ou nas organizações. O material é baseado em 25 anos de experiência prática no espaço de Inovação e no livro "Robert’s Rule of Innovation".


Inovação é a chave para a sobrevivência da sua empresa. É um imperativo e deve ser uma parte integrante de sua organização. Inovação – deve ser codificada em seu DNA corporativo.

Isto é verdade, não importa o tamanho da sua organização. Não importa em que negócio você está ou o produto ou serviço que você oferece. Hoje, mais do que nunca, a Inovação deve ser a estratégia holística que os líderes experientes criam, que floresce na atmosfera certa (e naufraga no ambiente errado).

… tornou-se mais importante do que nunca aos líderes empresariais instituir programas de Inovação, e GERENCIAR os mesmos de forma eficaz.

Com toda essa inovação acontecendo – de novos widgets a novos produtos de seguros a novos processos – tornou-se mais importante do que nunca aos líderes empresariais instituir programas de Inovação, e GERENCIAR os mesmos de forma eficaz.

Na idade das trevas, os participantes do programa DNP idealizavam e criavam um novo produto e passavam a tocha para vendas e marketing. Hoje, no entanto, há “novas regras.” E isso significa questões mais complexas dentro da organização que exigem estruturas flexíveis e cooperação sem precedentes entre as disciplinas, equipes e unidades de negócios.

Então, precisamos agora de ferramentas arrojadas, como novas estruturas organizacionais, novas formas de treinamento, procedimentos de comunicação internos – e líderes ousados que entendem e podem implementar consenso entre os limites departamentais e geográficos.

Neste ponto, eu sei que alguns de vocês podem estar pensando:

  • mas nós somos uma empresa menor, com menos de US$ 50 milhões em receita anual, ou
  • mas nós não temos o tempo, mão de obra ou dinheiro para este tipo de iniciativa de Inovação abrangente
  • Por que não podemos apenas “improvisar” – como se costuma fazer?

Lembre-se, Inovação não é um luxo, até mesmo para a empresa mais bem sucedida. Sustentar o sucesso significa renovação contínua de seu portfolio de propriedade intelectual (PI). Afinal, as tecnologias se tornam datadas, modas de usuário final mudam e novos processos, materiais e recursos surgem.

Tenha em mente, existem “regras de ordem” – Inovação requer regras da casa, regras que devem ser implementadas, mantidas, protegidas, impulsionada – ferozmente – a fim de que o seu programa de Inovação tenha sucesso. Inovação é a alma de qualquer empresa e RROI é o coração de sua estratégia de crescimento sustentável.

E quais são essas regras?

  • Inspirar
  • Sem Risco, Sem Inovação
  • Processo de Desenvolvimento de Novo Produto
  • Propriedade
  • Criação de Valor
  • Prestação de Contas
  • Formação e Treinamento
  • Gestão de Ideias
  • Observar e Medir
  • Resultado Líquido e Recompensa

Vamos agora dar uma olhada no primeiro e um dos mais importantes imperativos, e entender por que cada um é tão importante para a criação de Inovação sustentada.

Inspirar

O líder de sua equipe de Inovação tem de inspirar, liderar e conduzir o processo. O apoio tem que vir do topo, tem que ser uma parte integrante da cultura da sua empresa. Este é um imperativo.

Não pode ser um esforço “sabor do mês”. Programas de curto prazo são farejados rapidamente por pessoas-chave de sua empresa, com efeitos nocivos. Lembre-se da escola, quando a classe chegava de manhã e encontrava um professor substituto na frente da sala de aula? Você se lembra o que acontecia nesses dias? Caos.

Para o programa de Inovação funcionar, o líder – e em muitas empresas de menor e médio porte, essa pessoa é o CEO – tem de ser evolvido regular e pessoalmente, de modo que todos entendam: “este é o caminho que vai ser. Isso é o que eu espero. Não há exceções. Estamos todos juntos nisso. Vamos fazer funcionar. E todos nós vamos colher os frutos deste programa.”

E a implicação tácita: senão.

Uma dica importante sobre a configuração da cultura, de modo que seja uma parte inegável, inatacável, inevitável da vida em sua empresa: Definir reuniões regulares.

“Ha!”, Você diz. “De jeito nenhum.” O tempo é apertado, as programações de viagens são exigentes, e sua equipe principal tem os seus “trabalhos do dia.” E estas responsabilidades do trabalho diário levam muito tempo e esforço. O que fazer?

Tenho tido grande sucesso com reuniões regulares, mensais, de duas horas. Estes devem ser em pessoa – evite videoconferência de longa distância, se possível, porque você quer criar um senso de urgência e pressão por prazos. Estas reuniões em pessoa resultam em urgência e interação face a face, criatividade e senso de espírito que só pode vir de seus atores-chave estando na mesma sala, ao mesmo tempo, sob o olhar atento do líder.

A disponibilidade de tempo é uma questão importante? Bom. Vincule a reunião mensal de DNP para as reuniões de divisão, a fim de aumentar a eficiência de tempo.

Para comunicar a importância de seu esforço de Inovação, é preciso dar tempo para essas reuniões, e certifique-se de que todos na equipe entendem que elas acontecerão e que a participação é obrigatória e que não existem desculpas para atrasos, despreparo e falta de participação.

O CEO ou líder designado executa as reuniões. Antes de cada sessão, este líder de programa discutirá questões-chave, construirá consenso e ajudará a tomar decisões, com membros selecionados da equipe.

Os relatórios de progresso são obrigatórios. Cada encontro vai monitorar o progresso, abordar questões e preocupações, compartilhar pesquisa e resultados, permitir a realocação de prioridades. Novas decisões serão tomadas. Necessidades e desejos do cliente terão que ser considerados. E, como dito anteriormente, objetivos de Inovação serão criados e priorizados para os próximos 30 dias – em congruência com os objetivos globais de negócios.

Tudo depende da prestação de contas (ver abaixo) e o líder precisa garantir que os cronogramas de projeto-por-projeto e decisões de investimento estão nos trilhos.

Produtividade nessas reuniões dependerá em grande parte da composição da equipe e a complexidade da(s) linha(s) de produto. Assim, parte da função de liderança é a determinação de quem está na equipe. Na minha experiência, muitas empresas de médio e pequeno porte têm número limitado de especialistas internos a partir do qual escolher. O CEO comanda o show. Atores-chave devem, então, incluir os líderes de Vendas, Finanças, Operações, Marketing.

E para aqueles de vocês em grandes empresas: É ainda a sua inspiração que impulsiona o processo e define o tom.

Qual é o ponto ser lembrado? Com o tempo, uma cultura nova e vibrante é desenvolvida, que corre por toda a organização. Faça certo, passo-a-passo, construindo consenso, reforçando ideias, ressaltando a necessidade de prestação de contas, fazendo as perguntas certas. Não se apresse – ela virá.

Mas, não vacile, tampouco. Mantenha seu posto, mantenha a coerência e isso vai acontecer. Graças a você, aquele que Inspira.

Um “Chief Innovation Officer” Inspira Sua Equipe?

Quem inspira a sua equipe?

Quem desenvolve as ideias, promove um ambiente que impulsiona a camaradagem criativa, nutre o espírito de equipe – e conduz a organização em direção à grandeza?

Em suma, quem é seu Chief Innovation Officer?

Toda organização que cresce através da criação de novos produtos ou serviços ou aspira superar a competição precisa de um Chief Innovation Officer, ou CIO.

Em meu livro, Robert’s Rules of Innovation, “Inspiração” é o primeiro e mais importante dos 10 imperativos. Inspiração direciona todo o resto – desde a ideação ao desenvolvimento de novos produtos até a própria assunção de riscos.

Ainda, a seleção do CIO e a definição de suas tarefas em ver que estes desafios são habilmente dominados, pode fazer a diferença entre sucesso e fracasso da Inovação.

O que faz o CIO? Ele ou ela…

  1. Mostra o apoio do topo. Idealmente, esta posição é mantida pelo diretor executivo ou presidente da organização – alguém que lidera pelo exemplo e assume o discurso. Alternativamente, e em uma organização maior, ele ou ela pode ser um “príncipe coroado” – alguém escolhido a dedo pela liderança executiva para supervisionar a tarefa de inspirar grandeza de dentro da equipe. É importante que, se o CIO não for o CEO ou presidente, ele ou ela tenha a bênção do executivo sênior. Caso contrário, suas ideias, inspirações ou sugestões podem ser repelidas.
  2. Comunica Objetivos e Progressos Gerais. O imperativo deve ser o de sobre-comunicar e sub-prometer. Essa comunicação mantém a organização focada na visão, nos sucessos e fracassos.
  3. Constrói um “Corredor de Comunicação.” Esta prática de tráfego de dois sentidos permite que as ideias fluam livremente para igual consideração e compartilhamento em toda uma empresa confiante. A política de portas abertas dá a cada participante uma voz e motivação para dizer o que precisa ser dito – mesmo se eles acreditam que o projeto em questão é uma proposta perdedora. O medo de represálias nunca deve desencorajar as pessoas de falarem o que está em suas mentes.
  4. Conecta os Silos. Melhor ainda, ele ou ela os derruba. Derrubar as barreiras que mantêm silos separados, criando equipes multifuncionais.
  5. Comissiona Entre Grupos Stakeholders. Estes “líderes entre projetos” devem ter a autoridade e os orçamentos para testar, aprender e levar vários grupos através do processo e assegurar que a propriedade entre os grupos seja alcançada. Estes campeões devem incentivar apoio de modo que a Inovação não seja impedida ou bloqueada.

Isso não é apenas para empresas Fortune 500. As organizações menores têm mais a ganhar com a instalação de um CIO. Isso ajuda a enviar a mensagem de que a posição – e o compromisso por trás dela – são vitais para o crescimento a longo prazo da organização.

Seja qual for o tamanho da organização, a inspiração só é válida se for derivada da visão, missão ou estratégia da empresa – e dirigida por um executivo competente para enxergá-la.

Dicas de Inspiração

Há vários passos-chave para alcançar o tipo de cultura Inovação que inspira e cria coesão dentro da organização:

  • Liderar Pelo Exemplo: Tudo começa no topo. Gestão de apoio à inovação e ideação é crítica. E pelo apoio, quero dizer tanto material quanto emocional. Ele precisa não só endossar, mas pressionar proativamente para a Inovação. É o único caminho para a sua equipe conseguir a motivação para ter tempo de seus “trabalhos diários” para fazer a Inovação acontecer;
  • Sobre-Comunicar, Sub-Prometer: Mostrar visões abrangentes de Inovação, sucessos (e fracassos), sem hipérbole. Manter simples. Manter foco. Manter real. Comunicação interna e externa aumenta apoio do grupo para objetivos da Inovação. É importante articular a sua grande visão e fornecer o argumento convincente para a mudança.
  • Demolir Silos: Derrubar as barreiras que mantêm silos separados, criando equipes multifuncionais entre grupos que normalmente não interagem. Isso mantém a chama da cooperação – e Inovação – queimando brilhantemente. “Silo-itis” pode sufocar o apoio para a inovação.
  • Escolher os Líderes Certos: Selecionar líderes de inovação de vários grupos, e proporcionar apropriação e responsabilização, para gerar resultados de Inovação. Levantar a barra em suas seleções de talentos. Você sabe quem eles são – recrutar essas estrelas, agora! E lembrar que mesmo inovações mais técnicas exigem líderes com habilidades superiores com pessoas e comunicação.

Por: Robert F. Brands | Tradução por: Filipe Costa

Sobre o Autor

Robert F. Brands é Presidente e fundador de Brands & Company, LLC. Com experiência em introduzir innovação para o mercado, criando e melhorando processos e cultura de desenvolvimento de produto, entregou “ao menos um novo produto por ano ao mercado” resultando em crescimento lucrativo e valor ao acionista em dois dígitos.

 

 

Robert é o fundador de Innovation Coach.com, ele é palestrante em inovação e autor de “Robert’s Rules of Innovation, a 10-Step Program for Corporate Survival” com Martin Kleinman publicado em Março, 2010 por Wiley. O livro contem ferramentas de avaliação, dicas, capítulos sobre a importância de Propriedade Intelectual e mais. Para mais informação sobre Inspirar & Iniciar ou demais imperativos por favor visite: RobertsRules of Innovation.com.

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad