Como Inovar: O Processo de Inovação

Muitas pessoas presumem que a criação de novas ideias é o início do processo de inovação, mas isso não é verdade. Ideação ocorre no meio do processo de inovação controlado, que apresentamos neste capítulo.

Embora o objetivo da inovação seja “simplesmente” criar valor para o negócio (simplesmente está entre aspas porque, obviamente, não é tão fácil de fazer), o valor em si pode assumir muitas formas diferentes. Pode ser melhorias incrementais aos produtos existentes, a criação de rupturas como produtos e serviços inteiramente novos, redução de custos, melhorias de eficiência, novos modelos de negócios, novos empreendimentos e inúmeras outras formas.

O método de criação de inovação é descobrir, criar e desenvolver ideias, refiná-las em formas úteis e usá-las para obter lucros, aumentar eficiência e/ou reduzir custos. Aqui vamos nos concentrar em como fazer isso, o processo de inovação.

O truque para fazê-lo funcionar é saber o que deve acontecer dentro do funil.

Na busca pela inovação, é óbvio que muitas ideias na fase de entrada se tornam algumas inovações concluídas e úteis na fase de saída, então, as pessoas facilmente visualizam o processo de inovação como um funil: muitas ideias entram pelo amplo início à esquerda, e algumas inovações acabadas chegam ao mercado a partir da extremidade mais estreita à direita. O truque para fazê-lo funcionar é saber o que deve acontecer dentro do funil.

Então, naturalmente, você quer começar com a criação de um monte de ideias, certo? Na verdade, não.

As ideias são de fato as sementes da inovação, assim como o minério tirado da terra é a matéria-prima do aço, ou os campos de trigo fornecem a matéria-prima para o pão. Mas é preciso muito trabalho para extrair o minério bruto e transformá-lo em aço, ou preparar os campos para crescer o trigo, muito antes que se torne pão. É o mesmo com a inovação; não começarmos coletando ideias cruas. Em vez disso, sabemos que a inovação é um elemento central da estratégia de nossas organizações, por isso temos que iniciar o processo de inovação com o pensamento estratégico para assegurar que as saídas de inovação estejam totalmente alinhados com a nossa intenção estratégica.

Passo 1 é portanto Pensamento Estratégico. O processo de inovação começa com o objetivo de criar uma vantagem estratégica no mercado, por isso nesta fase pensamos especificamente sobre como a inovação vai agregar valor aos seus propósitos estratégicos, e miramos nas áreas alvo onde a inovação tem o maior potencial para fornecer vantagem estratégica. Este foi o tema dos capítulos 1 e 2.

Passo 2 é Gestão e Métricas de Portfólio. Como descobrimos nos capítulos 3 e 4, um dos fatos subjacentes importantes da gestão da inovação é a necessidade de fracasso. Estamos, por definição, tentando fazer algo novo, e à medida que prosseguimos na jornada inovação não sabemos de fato se teremos sucesso. Temos confiança de que vamos ter sucesso, eventualmente, mas ao longo do caminho sabemos que haverá muitas curvas erradas e muitas tentativas que nunca virão a ser concretizadas. Assim, gerenciamos portfólios de inovação de forma agressiva para equilibrar os riscos inerentes ao desconhecido com as recompensas de sucesso almejadas e equilibrando a nossa busca do ideal com a realidade de aprender, arriscar, falhar para em última instância ter sucesso.

Etapas 1 e 2, juntas, oferecem uma plataforma e contexto para tudo o que se segue e, então, constituem os estágios de “entrada” do funil, e para que as atividades nos Estágios 3 – 8 tenham melhor chance de alcançar os melhores resultados.

Passo 3 é Pesquisa. Uma saída de Estágio 2 é o design do portfólio de inovação ideal, o qual acreditamos que, a partir de hoje, seja a mistura certa de projetos de curto e longo prazo em todos os quatro tipos de inovação. Uma vez que entendemos o ideal podemos comparar nosso conhecimento atual e discernir as lacunas. Preencher essas lacunas, então, é o propósito da pesquisa. Através de pesquisas dominaremos uma ampla gama de desconhecidos, incluindo as tecnologias emergentes, mudança social e valores do cliente, e, no processo, vamos expor oportunidades novas e significativas para a inovação.

Os Quatro Estágios do Ciclo de Pesquisa

O pensamento estratégico nos esclareceu como o mundo está mudando e o que os nossos clientes podem valorizar, e isso estimula novas questões que a nossa pesquisa respondeu. Os resultados da pesquisa provocam uma ampla gama de novas ideias através de uma ampla gama de temas internos e externos. Esta é a matéria-prima abundante, que é automaticamente alinhada com a nossa intenção estratégica, pois surgiu como resultado de uma conexão direta entre a estratégia, o portfólio de design e a pesquisa.

Passo 4 é Insight. No curso de nossas explorações, a lâmpada se acende, ocasionalmente, e compreendemos as melhores formas de lidar com uma possibilidade futura. Eureka! A inovação e o alvo são mutuamente elucidados; entendemos qual é a proposta de valor certa é para o cliente certo.

Embora muitas pessoas pensam neste momento de insight como o início do processo de inovação, como você pode ver, no esforço de inovação bem gerenciado esperamos que insight surja como o resultado dos processos e atividades anteriores, não de forma aleatória. Assim, o processo de inovação descrito aqui é especificamente contrastado com a geração de ideias aleatórias; insight é o resultado de um processo dedicado de análise e desenvolvimento. Não ocorre porque alguém teve uma boa ideia no chuveiro, mas porque os indivíduos e as equipes de pessoas buscaram de forma diligente e persistente por ele.

Passo 5 é Desenvolvimento de Inovação, o processo de design, engenharia, prototipagem e testes, que resulta em produto, serviço e projetos de negócios acabados. Fabricação, distribuição, branding, marketing e vendas também são projetados nesta etapa em um processo multidisciplinar integrado.

Passo 6 é Desenvolvimento de Mercado, o processo de planejamento de negócios universal, que começa com a identificação e o desenvolvimento de marca, continua com a preparação para clientes entenderem e escolherem esta inovação e leva ao crescimento rápido das vendas.

Passo 7 é Venda, onde a verdadeira recompensa é obtida. Agora ganhamos o retorno financeiro com o sucesso na venda dos novos produtos e serviços. No caso de inovações de melhoria de processos direcionados internamente, agora colhemos os benefícios do aumento da eficiência e produtividade.

Gerenciar um processo desta dimensão e complexidade é, naturalmente, um desafio para todas as organizações, mas entre empresas do mundo, vemos que algumas o fazem extraordinariamente bem. O conhecimento de que algumas fazem isso muito bem, e que certamente é possível ser uma organização inovadora que pode obter lucros excepcionais deve ser uma poderosa fonte de motivação para desenvolver e aplicar o seu próprio plano.

Por: Langdon Morris | Tradução por: Filipe Costa

Sobre o Autor:

 

Langdon Morris é um co-fundador da InnovationLabs LLC, uma das principais consultorias de inovação do mundo.

Langdon também é Editor Colaborador e Escritor de Innovation Management, Editor Associado da International Journal of Innovation Science, membro da Comissão Científica do Business Digest, Paris, e Editor do Grupo de Trabalho de Tecnologia Aeroespacial Série Inovação.

Ele é autor, co-autor, ou editor de oito livros sobre inovação e estratégia, e um orador frequente em conferências de inovação em todo o mundo. Lecionou em universidades em 4 continentes.

The Innovation Master Plan: The CEO’s Guide to Innovation está disponível na Amazon.com

Ad

STAY CONNECTED

 
Ad